Notícia

Home | Voltar

15/09/2016

MORADIAS SOCIAIS

293 MORADIAS SOCIAIS COMEÇAM A SER CONSTRUÍDAS EM IRACEMÁPOLIS

As 293 unidades habitacionais da faixa 1,5 do programa Minha Casa, Minha Vida já começaram a ser construídas. A obra teve início na manhã desta quinta-feira, dia 15 de setembro, e vai contar também com a construção de 126 casas que serão enquadradas no faixa 2 do mesmo programa, já analisado e aprovado pela Caixa Econômica Federal.

As novas moradias estão sendo construídas no Jardim Niza Azevedo Calice, entre os bairros Luiz Ometto e Florescer e, de acordo com a coordenadora de Promoção Social, Vera Medeiros, os interessados na compra dos imóveis que já fizeram cadastro na Prefeitura podem ficar tranquilos porque eles estão válidos e serão atualizados assim que a Caixa Econômica Federal (CEF) fizer essa solicitação. “Novos cadastros também serão feitos num segundo momento e o mais importante é deixar a nossa população tranquila porque a moradia de interesse social vai seguir os critérios estabelecidos pela legislação vigente e pela CEF”, explicou.

Segundo Vera, um dos critérios que será seguido e está estabelecido em lei municipal é a comprovação de que o interessado tenha residência fixa em Iracemápolis há pelo menos cinco anos. “O comprador também não pode ter nenhum imóvel, lote ou terreno no nome dele, nem da esposa, mesmo que seja fora da cidade. A prioridade é oferecer moradia para que os moradores da nossa cidade saiam do aluguel”, reforçou.

De acordo com a Caixa, as unidades do faixa 1,5 são destinadas a pessoas que ganham até R$ 2350,00, com valor de financiamento de R$ 80 mil e subsídio de até R$ 12 mil e juros de 5% ao ano. Nesta modalidade o interessado não precisa dar entrada e as prestações são de aproximadamente R$ 220,00.

Já no faixa 2, para renda familiar de até R$ 6500,00, com valor de financiamento de R$ 105 mil, o subsídio pode ser de até R$ 11 mil e juros a partir de 5,5% ao ano. Nesta faixa, o interessado deverá dar entrada de 10% do valor do financiamento, com prestações em torno de R$ 780,00 no máximo. Estes valores são mantidos mesmo que o comprador não tenha FGTS ou nenhum recurso próprio.



Publicada por em 15/09/2016

Receba as notícias da Prefeitura em seu email